Seguidores

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

ÚLTIMA PARAGEM













ÚLTIMA PARAGEM


Subo a encosta a passo lento
E nem uma gota de suor
Nesta viagem estafante
Para trás deixei a dor ,
E esta luz cambiante.
A sorte que me espera?
Só a saberei mais tarde!
Mas quem espera desespera
E eu desespero já de saudade.

Quando chegar ao cimo
Levo comigo o aroma das giestas
Giestas do meu pedaço de chão
E o rumorejo do vento
Arredada do mundo em  solidão
E no meu rosto de rugas sulcado
De alívio será a expressão
De alento...
Por ter chegado
Ao fim !
Assim
tal como nasci
numa tarde morna?
Minha alma como filho pródigo
à casa torna....

Sem comentários: