Seguidores

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

cativa...



meus versos trazem palavras de sol
às vezes são nevões de pavor
tempestade que me leva à obscuridade
onde só se ouve o sopro e o rumor
que ainda sinto e é saudade
meus versos são um mundo de palavras
despidas de perfeição
todos eles de efémera glória
sonham ser palavras de eleição
sementes criadas ao crepúsculo
quando o sol guarda a mantilha
e aparece a lua e brilha
hora das recordações, das emoções
carregadas de doçuras
meus versos são inventário
de lamentações...
são rajadas de vento por entre as urzes
do meu pensamento
escadarias que me levam ao infinito
relâmpagos que me rasgão a mão
o grito que me sai, a ferida, a respiração
a obsessão...
meus versos são furor nascido em mim
quando escrevo sinto-me livre
enquanto houver vida vai ser assim
assim, até ao fim...

natalia nuno
rosafogo

emoções...




viajo ao fundo de mim
em marés de tanta melancolia,
a resgatar a imagem que trago na memória, 
para alegria de voltarmos a estar juntas,
abro a janela da esperança e
festejo a vida com a emoção destas pequenas coisas
que tocam o meu coração,
abraço com intensidade esta viagem
onde me atrevo a sonhar, 
ambas temos a mesma história, 
o mesmo tempo que nos envelhece
a mesma nostalgia que não nos abandona,
as mesmas palavras que nos fazem sonhar 
com a felicidade 
e os mesmos anos que passaram
sem que déssemos conta...
ouvimos a mesma música e nada,
nada nos pode separar...
ela traz nela a juventude
........... e eu trago em mim a saudade
e a desmemória batendo com implacável
rancor...neste sonho baldio
onde ainda ressoa o amor....

natalia nuno
rosafgo