Seguidores

sábado, 2 de março de 2013

mergulhada no sonho




































enquanto a vida passa
e não sei para onde me leva...
olho o poente,
a voz ausente
o coração sinto-o maior,
como um dançarino poderoso
ou um arauto promissor
de promessas de amor.

misturam-se perfumes no ar
tudo é efémero apenas sonho
sinto o aroma da terra ... saboreio,
e o coração bate sem freio...
vou desfiando segundos
regresso a mim com lentidão,
acredito em ventura... pura ilusão!
o tempo nunca me devolve nada,
e nesta mornidão sentida
o coração bombeia
a vida
que parece em trevas
mergulhada.

embalada no cansaço
afundo-me de novo na inconsciência,
ao sonho...me abraço.

natalia nuno
rosafogo
imag-net.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

volto-me para mim...



Nas águas tranquilas deixei meus
traços...feitos nostalgia
e a paisagem estranha é agora
fugidia.
traz-me amargor,
foge-me da lembrança,
não retenho o rosto e a harmonia,
tudo é agora noite sombria.

Olho-me no luar que é mudo
luar triste mas reluzente do mês de Junho
juventude que era tudo...
poema escrito p'lo meu punho?!
Não é mais que descrição de saudade
grito que é necessidade,
do meu eu mais profundo.

Minha alma é emotiva
fico na recordação
de olhos apagados, parados,
em êxtase ouço então,
o som do rio que não pára
no meu pensamento...
e é ferida que não sara
por um só momento.

sento-me na margem
ao pé do choupo erecto
à espera de ver a imagem
que traz meu coração inquieto.

natalia nuno
rosafogo
imag.net

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Poema da Poeta Karinna




HOJE COLOCO UM POEMA DUMA POETA AMIGA

sim, minha palavra é medíocre
como é meu olhar n'outro
minhas razões são infinitas
pois afetos partilhados
são imensuráveis
-mesmo que eu nada seja-

ou talvez sofrível
-um poema mediano-
tenho partilha nos olhos
e entre os dedos letras que sorriem

pois a morte me circunda
me impulsiona
ao ser insignificante

sim, minha palavra é medíocre.

Karinna*

medíocre

Obrigada Ka, tuas palavras são bem a imagem da tua alma grande.