Seguidores

sábado, 13 de agosto de 2011

A INQUIETAÇÃO DO MEU RIO



Entre a folhagem há um coro
de cânticos subtis
E no rio um curso em quietação
E meu coração me diz
Porque  será que choro,
da saudade do meu corpo feminino?
Oh! Absoluto, mal fadado destino!

Ondulam brisas sobre as searas
Vibram as folhas prateadas
Pensar eu que me amaras...!
Em marés arrebatadas.

Já vão as horas perdidas
E os corações distantes
Para quê lágrimas caídas?
Se não haverá prantos bastantes?

Meus medos são trevos em flor
Andorinhas, entre a bruma
                                 do esquecimento.
No fundo dos meus olhos... amor,
                                  já coisa nenhuma!
Já partem, como nuvem em seu labor.

Fica o horizonte tão mudo
E o vento entoa seu balido
Não há nada que desejar
Ou haverá tudo?
Volta o desejo aos corpos
reacendido.
Numa imensa vontade de amar.

Meus sonhos são moinhos de vento
São  tiros no ar,
que me trespassam o pensamento
Num tempo inquieto sempre a andar
Quero viver, viver como a pedra que dura!
Não quero morrer de peito oprimido
Não me basta do céu a ventura
Não me basta o tempo já vivido.

rosafogo
natalia nuno
imagem - blog imagem para decoupage





domingo, 7 de agosto de 2011

A HORA DE LEMBRAR



Nesta hora sómente a lembrança
De momentos que não vou devolver
Ficarão pra sempre no peito
com a esperança
que se aninha no esforço de viver.
Desta SAUDADE não tenho cura
Saudade que inteira me abraça
Corre nas entranhas a ternura
Passa o tempo e ela não passa!

Saudade fluí dentro do meu coração
Como água duma fonte
fresca e pura
O perfume da hortelã
A ilusão...
Um ardente sol no horizonte
Uma tarde clara na lonjura.

É arco-íris no céu deserto
É tudo o que na memória já se perde
É o limiar dum sonho por perto
É sentir o palpitar da terra verde.

Lembrança...ouvir uma voz querida
à distância
Hoje sinto no mais profundo do coração
uma melancolia forte,
da criança...
Que salta, que passa e que corre
e em mim não morre.

Lembranças são chamarizes
Já um pouco furtivas,
Mas por vezes bem vivas!
Que me transportam a dias felizes
Onde havia verdes trigais
E a primavera me vestia de sonhos
Tal como vestia de novo as ramagens
                                                    dos choupais.

 rosafogo
natalia nuno
imagens do blog para decoupage