Seguidores

terça-feira, 27 de março de 2012

NO FIO DA MEMÓRIA












Adormece em mim o dia que passa
Vagaroso sem se dar por achado
Deitou-se em mim como quem abraça
Não trouxe notícias da desgraça!
Como se o mundo corresse maravilhado.

Num cinzento intenso.
Nasceu apressado,
p'la tarde é já levado
num estremecer entrecortado,
de horas silenciosas.
Agora talvez me deixe adormecer.
Devagar como esta luz que morre
Enredo-me no perfume das rosas
Generoso que no meu coração corre.

De olhos fechados...atravesso a vida
E sonho de cor,
de tanto ter sonhado!
Menina flor,
 tão florida
de tanto ter amado.

**
Estrela da manhã toda alegria
Te encontro perdida
Tão sombria
Tão esquecida.

**

Adormeceu o dia é noite na tarde
que em mim se aninha...
Me entrego à saudade e à verdade,
dum amanhã que se adivinha.

Háverá sempre um fio
da memória que nos prende?
Ou será apenas o esquecimento
que em nós se acende?

A indiferença se alojará então!
Esvaído de saudade o coração.


rosafogo
natalia nuno