Seguidores

quarta-feira, 11 de março de 2015

a vida corre...corre



desliza a tarde procurando o colo da noite
há tufos de flores que exalam
leva-lhes o odor o vento com seu açoite
e a vida corre, corre...
não querendo ficar para trás!
tudo é claro como água
só eu a realidade e o sonho
morrendo de mágoa...
quando escrevo estou só
como as águas do oceano,
onde gaivota sigo ao engano.
dos que partiram,
vem-me a saudade
nas palavras escritas procuro serenidade
adivinham-me o pensamento
o que faço e não faço
a cada instante, cada passo
que eu própria nem sei,
ah...jovem para sempre me julguei
quando escrevo não me sinto de hoje
talvez de ontem ou de anteontem
dos sonhos sonhados
dos passos dados.

hoje a memória é um rio
cada vez mais estreito
com imensa neblina
onde flutua a imagem da menina
que trago sempre no peito...

natália nuno
rosafogo