Seguidores

segunda-feira, 18 de julho de 2016

vôo...

abandonei a minha sombra, deixei com ela tudo o que sonhei, quero ser livre como a música do vento por entre a folhagem... sentir o impulso do sangue no coração a bater, e trocar a cinzenta sobrevivência pela claridade, até à felicidade dos tempos...levarei apenas a tua recordação, ela que habita em todos os lugares de mim.


natalia nuno

loucura do instante...

nas m' mãos, existe um jardim... num dos canteiros um pássaro livre, que canta e parece que estreou o mundo, no outro há uma rosa que vive talhada de solidão e vazio profundo... no centro, uma fonte de água amanhecida, p'las lágrimas choradas na vida...



natalia nuno


domingo, 17 de julho de 2016

sentimentos....

neste destino sem prazo, trago comigo a companhia da palavra e do silêncio que me prendem ao seu sentir...deixando o meu palpitante  de amor e saudade...


natalia nuno

claridade....(pensamento)

nos ramos mais tristes de qualquer saudade, resgato a brisa da infância que sempre me espera com um cântaro cheio de claridade ... abraçando-me os sentidos.


natalia nuno


estremecimentos...



e assim a tarde se faz noite
lusco-fusco, negrume e solidão
lembro a intimidade
que ambos tínhamos sonhado,
depois criado,
e sempre ansiosamente mantido
mergulhados na paixão,
com abraços de ternura, loucura
de atar línguas e gelar palavras
numa procura por mais satisfação.
saudade que é relíquia perfumada
de rosas, hoje desafia-nos o cansaço
e o abraço é a inteira certeza
duma profunda comunhão,
onde não houve extravio de sentimentos
logo é a saudade que assoma aos meus
pensamentos...
de todos estes anos de união.

nesta tarde que se faz noite
a lembrança traz.me a nata da vida
num paradoxo de alegria e tristeza
para a qual não há saída...
sempre o medo do desconhecido
vejo as sombras da tarde a apagar
com lentidão...o dia perdido,
baloiço entre os sonhos e a vida
e uma certa medida de solidão.

natalia nuno
rosafogo