Seguidores

quinta-feira, 26 de junho de 2014

reino da fantasia...



Amiúde me ausento do mundo
ergo-me qual borboleta liberta
num desapego da realidade,
nesse vácuo a felicidade
é certa...
ali fico como se não fosse
nascida,
 lá encontro a juventude
perdida,
o rosto num quê de frescura
com a fronte desenrugada
na flor da idade,
com que ternura me chega
a saudade!
vinte anos, sê-lo assim por toda
a vida,
esplendor de ilusão
que sustenta meu coração

mas a borboleta vai-se definhando
ao tempo insaciável,
reclamando sem esperança,
só o amor lhe dá vontade de viver
de resistir, e a cada lembrança
batalha por não esquecer.

sentada aqui na noite crescente
tempo morto,
sem sopro de vento
escrevo em papel velho esmaecido
esboroando-se a forma, o sentido
e qualquer significado
em sentida saudade
leio e releio, penso e repenso
não vá ter esquecido
o inesquecível dia de noivado,
o gozo do amor e da vida
a felicidade,
e em tudo há um prazer
que me embriaga, me extasia,
então... ausento-me para o reino da fantasia.

natalia nuno
rosafogo





terça-feira, 24 de junho de 2014

ao Deus que nunca vi...




dedilho o terço
ao Deus que nunca vi
mas que sei que está aqui.
aqui, nas macieiras floridas
nos ramos das nossas vidas
nas igrejas e catedrais...
caem meus pecados ao chão
sou humana,  vou pecar sempre mais

florescem arbustos no peito
viro terra sem mácula
crescem em mim os lilázes
viaja em mim a primavera
Deus quer-me ser perfeito
saber-me anjo quem dera!
mas faço parte da terra,
nem sempre a ventura me espera

Jesus me olha da parede
e eu com o terço na mão
ébria de sonho e de sede
nem vejo se me sorri ou não,
elevo meus olhos ao céu
pesa-me o peito o Seu rosto é triste
misericórdia...triste está agora o meu...

Há pregos espetados na nossa solidão.

natalia nuno
rosafogo