Seguidores

sábado, 27 de agosto de 2016

amar-te é lembrança...



amar-te é lembrança,
é guardar o cheiro do alecrim
é abrir os braços, qual criança, a mesma
que inda habita em mim...
amar-te é ouvir música no coração a
pulsar, a cada trinado da passarada
multiplicar nos sentidos perfumes de paixão,
é seguir-te com passos de gazela
numa noite enluarada.

amar-te é sair do vazio que sentia
trazer a fornalha do amor acesa
é como um milagre que se anuncia
sonho enorme, anunciado por mil sóis
é ver na noite crescer rosas e girassóis
e voar à lua colher orquídeas de beleza

amar-te é soltar as alegrias uma a uma
ouvir o tocar das trindades nos campanários
é matar saudades do ventre do passado
tudo inventar...ou coisa nenhuma!

ou será beco sem saída? onde estou
sempre do outro lado, onde só eu amo
e por amor clamo?

e o que me resta é no coração  a doçura
são pedaços esfiapados de ternura
é um pouco de incenso a alecrim...
é a criança que inda habita em mim
e este outono que cai ao chão
como a luz duma vela
que se apaga e me desnorteia na escuridão...

natália nuno