Seguidores

sábado, 3 de setembro de 2011

PERSEVERANÇA



Permaneço neste instante
Não quero mais meses, nem horas!
Meu coração rouxinol eterno
da vida amante.
Misterioso, correndo sem trela
nem demoras.

Não tarda o cair da folha por todo lado
Nesta tarde que o dia embala
Bando de estorninhos, no céu
embriagado.
- E meu coração sem fala!
Borboletas amarelas em cortejo
Teu corpo fugindo ao meu.
Com o coracão escancarado
Levo da vida um sobejo.

Afasto-me contra vontade
Não descubro nada para dizer
Durante a viagem me deu saudade
Que faz ainda meu sangue correr.

A vida é traiçoeira como a urtiga
Levou meu tempo de rapariga!
Meus cabelos soltos ao vento
O rubor das maçãs do rosto
Levou até meu pensamento
Lá atrás no mês de Agosto.

Perco-me no azul do infinito
Sem outra saída que, não a morte
No cinzento do dia deixo escrito
Que resisto, pois sou forte!

natalia nuno
rosafogo
todas as imagens são retiradas do blog
imagens para decoupage.

AOS AMIGOS UM ABRAÇO PELO CARINHO DA VOSSA VISITA.
ESTAREI AUSENTE ALGUNS DIAS, MAS A VOSSA PRECIOSA AMIZADE
JÁ ME É SAUDOSA. BJS.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

VIVER O MOMENTO



Estala a lenha na lareira
E me faz sentir viva de verdade
Memórias nítidas na memória e coração
O gato aqui à beira
E a intensa saudade...
que me leva em peregrinação.

Gestos, palavras, imagens
Neste baú que é a mente
Onde parto para viagens
Ou sonho simplesmente.

Tudo reflui na memória
Me reconcilio com a vida
Esqueço a quotidiana solidão
Não são momentos de glória
Mas instantes de ilusão.

Sou criança carente
Continuo sentada à soleira da porta
Onde a vida era comigo complacente

Amanhã indiferente a memória estará morta.

12/12/2009
rosafogo
natalia nuno

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

FLOR DE TÍLIA




O cheiro da tília em flor
anda no ar
Procuro agarrar o amor
que o sonho vem desafiar.
Maravilhosamente enternecedor
como o perfume da tília em flor.

Ouço o badalar da igreja do largo
Esse badalar
que me leva ás raízes
Que trago enclausurado para lembrar
Tantos dias felizes.

Memórias de infância mais uma vez
Recordadas anos a fio
Paradas em mim, como relógio caduco...talvez!
Na dormência que causa frio.
Outono de multicoloridas
folhas mortas
Tantas situações vividas
Tantas horas tortas.

A memória sempre a atiçar
Volto atrás mesmo sem querer
Para mim é como respirar
Ou esperar o dia anoitecer.

rosafogo
natalia nuno

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

HOJE



Hoje não vimos o sol, choveu sem violência, e ficámo-nos a olhar o rio, esse rio que já é oceano, surgiram mais umas rugas nas têmporas, enquanto as nuvens se afogavam na luz morna da tarde. A noite é agora carvão e o horizonte já abraça o crepúsculo, e eu recordo o dia de hoje, pois a amizade me arrancou um sorriso.
Amanhã uma luz macia trará um novo dia, e eu serei o que sou por quanto tempo DEUS quiser, me enviará um sopro doce do vento para me adoçar o peito, que pende um pouco para a tristeza.


A vida vai-se prolongando
e botões de lírio (sonhos) vão despontando.


natalia nuno

A todos os amigos que visitam meus blogs, deixo um beijinho de
gratidão.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

KARINNA




POEMA QUE ME FOI DEDICADO

*Divagando no teu versar esplêndido:

'Chão*


um verso flutua na solidão
o homem-poeta veste-se de brumas
traz consigo todas as buscas
no coração ainda reluz um clarão
nas pegadas se faz um caminho
e na Poesia se faz chão...


Karinna*'


*Amiga querida, admiro-te sobremaneira!
Beijo-te
Ka*

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=197210#ixzz1WPMqUk7e
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Obrigada amiga!

domingo, 28 de agosto de 2011

NOSSAS VIDAS

Passas por mim num voo razante, eterno és neste mudo instante.















Já sós e ignorados, ante um vazio
P'la nossa própria voz...fechados!
Os anos vão marcando a nossa pele
até nos encherem de abulia,
dia após dia
Nossas vidas,
se esfumam em silêncio demorado
Passa por mim o tempo
em vôo razante
Eterno e mudo este instante.
Caio exausta,
enquanto o silêncio cresce,
a solidão desce.

Ás vezes vejo-te ao raiar da aurora,
meu peito em letargia se embriaga na hora.
Passa por ti a aragem,
por mim o fim da viagem.
Ligeiro voáste...partiste!
Eu sem ti,
já não sei se amor no peito existe.

rosafogo
natalia nuno
imagem do blog imagens para decoupage


HOMENAGEM QUE RECEBI DA NANDA



POEMA QUE ME FOI DEDICADO
Tenho a alma perfumada
com a fragrância da nostalgia
Mora em mim esta saudade
uma jarra de liberdade
com flores de fantasia

Não confundam com tristeza
memórias de outros tempos
São todo o meu relicário
um mundo de sentimentos

Não posso mandar para canto
amores, lágimas e pranto
felicidade e resquícios de alegria
nem vivo no desencanto
apenas trago no peito
memórias de outros dias

Maria Fernanda Reis Esteves

Este poema é duma amiga querida, e por me TER SIDO DEDICADO ,o trouxe para o Orvalhos

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/comment_new.php?com_itemid=163186&com_order=0&com_mode=nest#ixzz16ckI1DDi
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

E O INSTANTE CHEGOU



É o instante, a hora de dizer:
Vem a voz da noite descendo

Amanhã posso morrer!
Na porta do silêncio batendo.
Esperei o momento
Numa lágrima sentada
E revolto o pensamento
Esquece, não lembra de nada.

E o instante chegou!
Na derradeira hora do dia
E à Terra que me gerou
Irei fazer companhia.

Vivi longas horas, falei
D'outros tempos que importava?
À volta dum sonho, sonhei
Os que não sonham, não sabem nada.
Criei poesia a meu modo
Ninguém compreende a profundura
Sou como sou não me incomodo!
Que achem que é loucura.

Sou como aranha que avança
Tece sua imensa teia
Que de sonhar não se cansa
Mesmo se o sonho já escasseia.

rosafogo
natalia nuno
imagem ret-blog imagens para decoupage.