Seguidores

sábado, 3 de setembro de 2011

PERSEVERANÇA



Permaneço neste instante
Não quero mais meses, nem horas!
Meu coração rouxinol eterno
da vida amante.
Misterioso, correndo sem trela
nem demoras.

Não tarda o cair da folha por todo lado
Nesta tarde que o dia embala
Bando de estorninhos, no céu
embriagado.
- E meu coração sem fala!
Borboletas amarelas em cortejo
Teu corpo fugindo ao meu.
Com o coracão escancarado
Levo da vida um sobejo.

Afasto-me contra vontade
Não descubro nada para dizer
Durante a viagem me deu saudade
Que faz ainda meu sangue correr.

A vida é traiçoeira como a urtiga
Levou meu tempo de rapariga!
Meus cabelos soltos ao vento
O rubor das maçãs do rosto
Levou até meu pensamento
Lá atrás no mês de Agosto.

Perco-me no azul do infinito
Sem outra saída que, não a morte
No cinzento do dia deixo escrito
Que resisto, pois sou forte!

natalia nuno
rosafogo
todas as imagens são retiradas do blog
imagens para decoupage.

AOS AMIGOS UM ABRAÇO PELO CARINHO DA VOSSA VISITA.
ESTAREI AUSENTE ALGUNS DIAS, MAS A VOSSA PRECIOSA AMIZADE
JÁ ME É SAUDOSA. BJS.

1 comentário:

aikatherine disse...

um pouco de poesia linda melancólica, uma pitada de Outono, o tempo de prisão, não quero sair. eles são os momentos felizes na vida.
incluindo fotografias antigas são jyvin bonito, eu sempre admirei eles.
a mulher era bonita como genuína.