Seguidores

sábado, 22 de dezembro de 2012

Por ser Natal...





Ora, como me sinto? Como se tivesse levado um banho purificador, com água duma fonte nova, fortalecida por Deus, meus alicerces são sólidos, minha luz abundante, pena não puder mudar o mundo, acreditar mais no Homem, mas já nada me causa espanto, nem mesmo a leviandade de quem nos põe à míngua, nos governa... assim, todos os dias nos acode aos ouvidos o ranger da crise que nos tira até a dignidade...daí que por estes dias vou esquecer, quero sonhar, quero sentir-me bem, sinto que tenho esse direito.
 É NATAL...


natalia nuno

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Sonho de Amor



Amámo-nos até o sol romper!
Invadidos por uma onda de amor,
tempo feliz, era tempo de querer,
como a abelha quer à flor...

Já madrugada...o mundo despertou!
Descansei encostada ao teu peito...
esqueci lágrimas e a saudade apertou,
enquanto me abraçavas tão ao teu jeito...

E foi como se chovesse doce no coração
não guardei tristeza, nem houve solidão...
acreditei no amor...era passada a aurora.

Sorriram então estrelas no firmamento
percorri teu corpo com o pensamento
e o amor foi botão de flor,como outrora.


natalia nuno
rosafogo
imag. da net

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

círios da memória






na cómoda antiga
havia sempre flores
e imagens de santos,
e minha avó em prantos
lembrando de seus amores
rezava uma ladainha
em voz baixinha.

grandes alguidares de barro
no forno
amassava-se o pão
benzendo-o com oração
«Deus te acrescente,
que és alimento de muita gente»
aqui ali um adorno,
uma sertã, uma cafeteira,
e na quinta feira
da Ascenção, um raminho de oliveira.

nas vigas da chaminé
penduravam-se os enchidos
e nas brasas fervia-se o café
enquanto a trovoada, zenia aos
nossos ouvidos.

a roupa mil vezes passajada
as iguarias poucas
às vezes imensa comoção
e todos os dias
a sopa e o pão.
na paz do alheamento,
se repousava em frente à lareira
deixava-se correr o pensamento,
e faziam-se contas duma vida inteira.

as silvas já formavam amoras
comê-las? Só quando maduras
em doce caseiro comido nas horas
de menos farturas...
a cor vermelha era como cilada
para atrair a passarada...
já se ouvia o barulho dos carros
o chiar dos eixos,
fugia a passarada, atordoada
abandonando os freixos.

e a lua aparecia e desaparecia
o sol nascia e morria
e assim a fé crescia
enquanto a vida corria..

natalia nuno
rosafogo
imag-net




domingo, 16 de dezembro de 2012

O amor, sentimento perfeito!





o amor é como o ondular do mar
onda vai onda vem...
mais meigo que o luar da noite
o sol dos dias, é tudo o que se tem.
o amor é uma forte tentação
às vezes... tortura do coração.

o amor traz-nos ais de saudade
é nossos olhos nossa claridade,
palavras ternas...aliança,
amor eterno, ventura,
flor de verão, flor de inverno,
doçura... esperança...
o amor tem um sabor delicado
entra por nós adentro obstinado.
traz ao olhar tanto enternecimento
tanta palpitação ardente
é como fogo ateado
volúpia estremecente.

o amor é um verso dolorido
na eternidade do pensamento,
harmonia duma voz que sussurra,
a voz do coração...o beijo prometido!
O amor é hospede amoroso
música dentro do peito
é felicidade, é gozo...
é um sentimento perfeito!

natalia nuno
rosafogo
imagem da net









CONTIGO



Contigo vôo nas asas do vento
Saudosa hei-de morrer de amor
Belo é morrer neste deslumbramento
Contigo caminharei seja onde fôr.

Contigo é todo o sonho que sonhei
É reviver tempos de outrora
Canto de encanto, por ti me encantei
De pranto é a saudade nesta hora.

Contigo me sentia doce menina
Rica de sonhos e encantamento
Hoje é a tarde que sobre mim se reclina
E tenho a saudade para meu tormento.

Brilham meus olhos doce quimera
Ao longe sinto ainda teu acenar
Ai meu amor quem me dera!
Contigo sempre sonhar....

um poema singelo, feito directamente no Horizontes da Poesia, hoje, sobre o tema «Contigo» que era proposto pela amiga Cida Vasconcelos.

natalia nuno
rosafogo
imagem da net