Seguidores

sábado, 3 de dezembro de 2011

GENTE RESIGNADA

imagens de rosas e flores
POEMA DEDICADO ÀS GENTES DO CAMPO

Verdes e azulados na planície
Onde o homem deixou a marca dos dedos
e o sonho vazio,
pra que alguém visse,
Que estão carregados de sombras e medos.

Campos de verde pranto
De sonhos desfeitos e escombros
Que a lua cobre com seu manto
Cansaço de morte sobre os ombros.

Anda a solidão aí p'lo ar
Carregada de cinza e tristeza
Andam gentes consumidas a trabalhar
De olhos vendados de incerteza.
Pisam as ervas que sangram
Levam vidas absortas
Trazem liberdade na boca
Mas as almas estão mortas.
E a esperança? É coisa pouca!

Levantam-se em pedaços
desfeitos
Pensamentos ausentes
Conhecem a desventura,  seus passos
são agora espigas sem efeito
de searas  morrentes.
A vida inferno ensurdecedor
Brutal cansaço este viver
Morrendo á míngua de dor,
a raiva em si  calada
amarga...que o faz sofrer.
.


rosafogo
natalia
imagem ret. do blog imagens para decoupage.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O SOL NASCE NA MINHA MÃO



Quebram-se meus braços
Que fazer agora?
Será que é hora,
de parar meus passos,
ou ainda há tempo de verter
uma lágrima e enxugar o rosto?

Ainda me sinto a erguer
Com chama e com furor
E lágrima que se perder?
Será uma só, uma, orfã e por amor.

Resta-me a palavra
Tudo o resto deu em nada!
Em mim só a saudade lavra
no peito uma alegria desmesurada.

Não troco minha vida por nenhuma
Nem sonhos, nem esperanças, 
não troco, não!
O sol nasce ainda na minha mão,
E a alma vagueia por aí como pluma.
A vida que quebrou meus braços
Foi mãe e  madrasta
Deixou-me andar de pés descalços
Mas, traz-me sempre um novo dia
e isso me basta.

natalia nuno
rosafogo
imagem retirada do blog imagens para decoupage

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

MEU PÁSSARO OCULTO



Canta o pássaro na ramaria
Num secreto ramo escondido
Apaixonado p'lo dia
Canta 'p'lo amor perdido.
O vento lhe afaga as penas
As que traz no coração
Assobia com sedução
Penas que traz às centenas.

Canta o mundo em harmonia
Canta o amor somente!
Musica simples doce ou sombria
Até parece que é gente!
Sua voz me enche de esperança
Traz-me de volta recordações
Pássaro oculto na lembrança.
Cálidas preces, ilusões.

Na minha alma a quietude
Dos campos todos em flor
O sonho visito amiúde
E minhas pégadas são de amor.
Minha mágoa é por ventura tardia
Na minha alma a tristeza
Na roseira uma rosa sombria
Chegou o Outono com certeza.

O pássaro canta e chora
Continua oculto no ramo
Neste céu outonal é hora
De dizer...amor te amo!
Escuta o orvalho caindo
Aqui, ali  beijos trocados
A pressão que estou sentindo
De nossos dedos enlaçados.

Quanta solidão acesa
Neste sol, neste céu
Só eu não tenho certeza
Nos ramos do meu coração
Se esse pássaro é meu
Ou a sombra que sou eu!
Um vulto na solidão.

rosafogo
natalia nuno




terça-feira, 29 de novembro de 2011

FELIZ NATAL A TODOS OS AMIGOS

NATAL

Imagens Pixels NatalOuve-se música na velha catedral
Velas acesas é noite de Natal
O menino é de madeira esculpida
A seu lado o olha sua Mãe Querida.
Recitam-se em voz alta orações
Silêncio, ouvem-se até os corações.

O hino é cantado pelo coro
Os meninos o entoam como um choro
As naves cheiram a brancas rosas
Aquietam-se as almas ansiosas.
                    Vem do céu toda esta harmonia
A noite é velha e tráz estrelaImagens Pixels Natal
Ninguém esquece a noite deste dia
Suspensa a hora nos altares da capela.
Há amor
E comoção nos sentidos
Missa do galo redobra o sino
Imagens Pixels NatalE há calorImagens Pixels Natal
Imagens Pixels NatalNos corações em Amor envolvidos
Faz-se oração, nasce o Menino.

natalia nuno
rosafogo
A TODOS OS AMIGOS POETAS QUE VISITAM ESTA CASA UM NATAL FELIZ E UM
ANO NOVO COM MUITA SAUDE AMOR E PAZ...

Imagens Pixels NatalANO NOVO FELIZ

TUDO QUANTO AMEI!


Trago nos olhos
silvados floridos.
Margaridas nascem nos meus dedos
Há rouxinóis na ribeira
dos meus sentidos
Chuvas de Abril lavam segredos.
Nas palavras há rosas abertas
Meu corpo foi terra de sementeira,
seara verde ... no tarde,
agora deserta certa,
sombra dura minha verdade!

Quer se queira ou não queira.

Depois da angústia a fadiga
que  surpreende o passo
O destino  vigia
Dando uma mão amiga
E o bálsamo do teu abraço.

Como o sol dum novo dia.

Chegue onde chegar meu dia
Ainda que me queira cegar
Pedirei a luz com que te via
Só mais um instante p'ra te olhar.
E então perguntar-te-ei:
Quem foi que morreu?
O tempo? Eu?

Ou tudo tudo que amei?

natalia nuno
imagem retirada do blog imagens para decoupage.