Seguidores

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

sentimento escondido




Nas profundezas da mente
há sempre um sentimento escondido
que não desaparece
porque nunca se esquece
quem um dia nos amou
permanece ali comprimido
o sentimento por outro coração
que nos tocou.
e assim continua sem uma
beliscadura,
com alguma dose de ternura
ao recordar-se.
Ficam pétalas de rosa
espalhadas p'lo chão
e as lembranças espreitam
à porta do coração.
Uma velha mala de viagem
chama viva e inocente
lembranças de adolescente,
tudo tão distante como as gaivotas
que sobrevoam o mar
mas que eu lembro para me animar.
Sinto-me invadida
por um vislumbre de amor
e bem estar
ao mesmo tempo de dor.

natalia nuno
rosafogo

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

a morte do actor...




Minhas senhoras e senhores
este é o terceiro acto,
vão entrar os actores,
depois, ao final
fecham-se as portas do teatro.
Este é o terceiro acto,
como verão é complicado
é a contagem para o fim
e ai de nós... de ti e de mim
se o amor sai mal soletrado.
Quem assiste vai aplaudindo
o actor move-se e não cessa
de tremer,
não pode adiar o fim da peça
nem o abraço à vida
que a morte não tarda a aparecer.

no palco dizem-se as últimas palavras
cada um ocupa o seu lugar
o público encantado a assistir
em silêncio para não perturbar.
O actor exausto quase, quase a cair
ergue ainda as asas mas já não voa,
inda agora era o alvoroço ao chegar,
já está pronto pra partir.

Ouvem-se os aplausos,
solta-se a língua ...bis...bis...
e o actor morre à míngua
já sem saber o que diz.
A vida é este teatro, é estender a asa
e não poder voar,
é o instante que passa
agora é bela, amanhã perde a graça.
Que sabemos nós do papel
deste teatro que é a vida?
Onde se ama, se morre, e se grita

que puta de vida!
Abre-se a porta da saída...
Um cortejo sepulcral
A peça foi muito aplaudida.
Mas a vida chegou ao final.

natalia nuno
rosafogo