Seguidores

sábado, 8 de junho de 2013

quem sonha não se perde...


insistentes na minha mente
os momentos de júbilo ou de pesar
tocados por raio de sol ou de luar
ou pelo crepúsculo tormentoso.

a alegria da adolescência
sem as horas contar,
o caminho pesaroso
que acelerou a partida
dos entes queridos
nada promete esperança
meus olhos apenas sorvem
a lembrança.

longe, tão longe
só na memória perduram,
a saudade é ventania
que me afronta,
trazendo-me afagos,
de tristeza, ou alegria.

sinto que vou a perder-me
mas a vida há-de querer-me!
sonhos há-de ofertar-me,
há-de dar-me
o rumo certo,
até ao limite do tempo.
quem sonha não se perde
e o meu sonho é verde
de esperança.

natalia nuno
rosafogo.


quinta-feira, 6 de junho de 2013

há um não sei quando...



trémula a última estrela
soltam-se palavras na memória
a dor ri de mim
é tanta a sombra que me envolve
no escuro
debalde a claridade procuro
no tempo que me tem,
e só é a saudade que vem
do tempo de além.

tiro da gaveta o linho
com o olhar turvado
morro como um passarinho
com seu cântico acabado.

trago o silêncio na garganta
e já nada me espanta
há um não sei quando
que me persegue
e um não sei onde me leva
há uma loucura de saudade imensa
uma coragem que se nega
e um frio que se faz presença.

natalia nuno
rosafogo