Seguidores

sábado, 2 de março de 2013

mergulhada no sonho




































enquanto a vida passa
e não sei para onde me leva...
olho o poente,
a voz ausente
o coração sinto-o maior,
como um dançarino poderoso
ou um arauto promissor
de promessas de amor.

misturam-se perfumes no ar
tudo é efémero apenas sonho
sinto o aroma da terra ... saboreio,
e o coração bate sem freio...
vou desfiando segundos
regresso a mim com lentidão,
acredito em ventura... pura ilusão!
o tempo nunca me devolve nada,
e nesta mornidão sentida
o coração bombeia
a vida
que parece em trevas
mergulhada.

embalada no cansaço
afundo-me de novo na inconsciência,
ao sonho...me abraço.

natalia nuno
rosafogo
imag-net.

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Não perder a face do sonho
É coisa de incondicional valor
Tudo na vida fica mais risonho
E a vida é vivida, com mais amor.

Essa mistura constante de alegria tristeza saudade só pode engrandecer a alma de quem é capaz de o fazer. Todos os sentimentos devem ter a sua liberdade. Abrir-lhes as comportas será sempre um sinal de inteligência. E para alem do mais um alivio para a alma! Nada, gosta de estar preso. E essencialmente quem aprendeu a ver e a conviver com a liberdade de toda a passarada da natureza!
É sempre um prazer ler-te.
Beijo
João

Natalia Nuno disse...

É certo João, a liberdade é um bem a perservar, a esperança sempre nos alumia, paira e brilha e assim vamos sonhando.
E a natureza é uma voz qua nos encanta e embala.

O prazer é meu João por saber-te meu leitor...tal qual eu gosto de ler-te.

Beijino, bom domingo.