Seguidores

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O DEVORAR DA ALMA



















O DEVORAR DA ALMA

A noite obscurece meu coração
Ouço os passos da chuva agonizando
Empalidece minha luz, minha visão
Já não vejo a menina triste,
nem estou lembrando.
Se existe?!
É lenda na voz dos ventos
É sombra de nuvem que passa
Nos olhos cegos e  lamentos
Ou nos múrmurios da desgraça.

Já foi bosque primaveril
Com odores de primavera
Ramo verde em mês de Abril
Água que corre e não  espera.

Mas esta noite que se afasta
Dando lugar à tristeza
Leva-lhe ilusões, a  arrasta
Chove em si, trás-lhe incerteza.
Mas há-de chegar a madrugada
E  vai mergulhar na vida
Se a memória não lhe  ficar parada
Presa ao silêncio da partida.

natalia nuno
rosafogo

2 comentários:

Sentidamente disse...

LINDO!!! Gostei muito! Tem imagens poétícas magníficas..."É lenda na voz dos ventos/É sombra de nuvem que passa/Nos olhos cegos e lamentos / Ou nos murmúrios da desgraça.".
Beijinho

Natalia Nuno disse...

É imensa a imaginação duma criatura que se pensa poeta, sonha, e vai criando às vezes sentindo um desamparo tota,, outras sentindo-se bem viva, como agora, que recebe palavras amigas.
Beijinho Mª de Jesus, grata pela visita.