Seguidores

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O PESO DOS ANOS



O tempo é como um novelo
Que desenrola em menos de nada
É melhor até esquecê-lo
Que a linha não volta a ser dobada
No tempo, o sonho e a vida rasgada..

A linha em nós enrolada
A vida em nós acabada.

E eu sem nunca me encontrar
Já vou perdendo a vontade
Deixo-me pelo tempo enganar
Iludindo-me com a saudade.

E cativa, não mudo de cativeiro
E o novelo vai-se desfazendo
Enredada nele como se estivesse inteiro
Vou a vida entretendo.
O meu corpo p'lo tempo vencido
Ainda acompanha as horas
De sentidos já despido
Desenrola-se sem demoras.

Sem sentidos...porque chora?
Pergunto num ai dobrado
Responde-me sem demora
Ando aos anos pregado
Cansado deste meu fado!.

natalia nuno
rosafogo
imagem do blog para decoupage

1 comentário:

ZezinhoMota disse...

Belo poema e um muito bonito cantinho onde gostei de tudo...

Vou regressar.

Bom domingo

SaudaÇÕES poéticas

Porto-Portugal

ZezinhoMota

A Poesia do Zezinho II http://zezinhomota1.blogspot.com