Seguidores

domingo, 27 de janeiro de 2013

LEMBRANÇAS AMADAS



Sou livro aberto onde me exponho
num vai-vém de palavras escritas,
numa azáfama de sonho após sonho,
poesias á noite rubis,
de dia diamantes,
ou simples pedritas
desesperadas... ou fulgurantes.

Assim porque Deus quiz:

Impregnadas de mistério, saudosas,
tristes como noite de  melancolia,
com olor a rosas,
aromatizam o meu dia.
Inferno, céu, estrelas miudinhas,
molham-me os olhos
de saudades minhas.

Nesta procissão de horas,
inspiro-me na natureza e me embriago,
lembranças surgem sem demoras,
sedenta de vida as afago.
Rebusco na memória cansada,
imagens que já me fogem como
pássaros assustados,
e é tão longo o esquecimento,
a alma desbotada,
os sonhos de ilusões esfarrapados.

Este fio de ouro que me prende
ao longuínquo «dantes»,
não o quero por nada perder,
é brilho, é festa ainda em mim
a arder,
teia me enreda sem desprender.
Sobre este livro já lido,
estes pequenos nadas...
são como sopros de vida
sentidos!

São lembranças amadas.

rosafogo
natalia nuno
imag-net

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Seja qual for o tema
De ti, sai sempre poema
Tal como água cristalina
Que renova, a adrenalina!

Os teus afagos são tantos
Que fazem ruir os prantos
Palavras que expelem calor
E se desfazendo, em amor!

É sempre com grande prazer que me deixo levar ao sabor das tuas dádivas intelectuais e poéticas!
Beijo
João


Natalia Nuno disse...

a saudade é o meu tema
escrevo-a dia após dia
sempre que surge o poema?
é suspiro, dor ou fantasia.

Grata meu querido amigo, pelo carinho que sempre leio nas tuas palavras.
beijinho