Seguidores

sábado, 2 de fevereiro de 2013

como escapar?




como escapar?
o fundo é negro de carvão
tenho a certeza que o dia morreu
morreu... e chegou a escuridão,
todos os meus dias morrem
duma forma atroz
nada se alterou...nem minha voz!
ninguém se interessou...
ninguém fez grande alarido
só em meu peito ferido,
a ferida não fechou.

Santo Deus, como passou depressa,
trocando-me as voltas,
para viver precisei folhear
folhas soltas
do passado...
posso pôr-me a recordar
sem deixar de ser a que sou,
o caminho não mudou
é apenas atalhado.

morreu o dia num trémulo rasgão
deixou em mim
uma febre de solidão.

á procura de sonhos nas saudades
perdidas
nas horas espremidas
p'la ansiedade,
mas acolhida
p'la saudade molhada
de bondade.

solidão é feita do cansaço
de não ver
o que me arrasta e não me deixa voltar,
inquieta tortura de não ter
como escapar
às malhas deste dia a morrer.

natalia nuno
rosafogo

COMENTÁRIO QUE NÃO QUERO DEIXAR DE PARTILHAR, do amigo BEIJA FLOR, feito
a este meu poema.


Olá Natália

A vida pode rasgar entranhas
Maior que sejam as façanhas
Mais altas que as montanhas
Em que as dores são tamanhas!

Alma arrebatada pela dor
Ao mundo mostrar vigor
Nas palavras, todo o calor
Na essência, exibem valor!

Mas no lamber dessas feridas
Ao mundo deste outras vidas
Por mais que cortem a razão
São vida, nesse grande coração!

Levantai-vos forças do universo
Em volta de todo o vosso louvor
Cuja vida se completa em verso
E sempre germinados com amor!

 POETA BEIJA FLOR


4 comentários:

Ricardo Miñana disse...

Interesante espacio el tuyo,
buen fin de semana.
un abrazo.

Natalia Nuno disse...

um prazer receber-te Ricardo, grata
pelo apreço.
Boa semana te desejo

natalia

PÈTALA disse...

Olá Natália

A vida pode rasgar entranhas
Maior que sejam as façanhas
Mais altas que as montanhas
Em que as dores são tamanhas!

Alma arrebatada pela dor
Ao mundo mostrar vigor
Nas palavras, todo o calor
Na essência, exibem valor!

Mas no lamber dessas feridas
Ao mundo deste outras vidas
Por mais que cortem a razão
São vida, nesse grande coração!

Levantai-vos forças do universo
Em volta de todo o vosso louvor
Cuja vida se completa em verso
E sempre germinados com amor!

Olhos os pássaros nas suas acrobacias constantes, e ao sentir o seu chilrear, acercam-me os teus versos como palavras magoadas pairando no ar! Mas a beleza dos seus cantos, são a beleza dos teus versos! As forças e belezas da natureza nunca ninguém as venceu! Estas serão sempre as tuas forças!
Beijo
João

Natalia Nuno disse...

Belíssimo comentário João, tenho que começar a colocar a poesia que me deixas na pág. principal.
Agradeço-te com o coração a amizade e o carinho com que me comentas.

Beijinho, desejo tudo bom para ti meu amigo.