Seguidores

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Se minha saudade é verdadeira?





































de onde sopra o vento
que me arrefece as ideias?
me adormece o pensamento?!
minhas rugas são teias
dum tempo sem dó
duma noite vazia
de onde parti só...

que me importa a opinião alheia?
meu pensamento acorda e adormece mudo
deixai falar! meu ouvir é surdo...
nada vale o sossego que é minha postura
que não troco por coisa alguma
deitei os medos acordei as esperanças,
levo lembranças...
será pura ingenuidade ?
arrisco viver assim,
opinião, diz-me respeito a mim,
se é ou não sincera minha saudade.

calor nos afectos, isso me basta
e a saudade que não tem preço.
a cada dia fortaleço
e na poesia que invento
surge a verdade que sou,
e a memória do que passou.

natalia nuno
rosafogo
imag-net.



2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Saudade que andas comigo
Quero-te sempre por perto
De ti, sempre serei amigo
Sem ti, serei um deserto!

A saudade está envolta em vários sentimentos. Desde a alegria á tristeza, ela é fértil em nos tocar o coração e a alma! Mas, felizes os que tem saudades. Elas serão sempre mais fortes e marcantes por toda a felicidade de coisas vividas. Quem não tem saudades, é porque nada viveu que fosse capaz de deixar essas marcas! Que um dia eu possa morrer com saudades, e nunca, por as não ter tido!
Beijo
João

Natalia Nuno disse...

Felizes os que têm saudades concordo João, afinal nem só de coisas más a vida é feita, mas de todo o percurso feito até agora o que mais saudades me traz sem dúvida é período da infância. Fico feliz que me compreendas e mais uma vez te agradeço a amizade.
Beijinho, bom fim de semana.