Seguidores

quinta-feira, 12 de julho de 2012

LEMBRO-ME DE TI



O fluir das horas,
a brisa que passa
o vermelho das amoras,
o rumor da água, o pio da garça
a leveza e a graça,
dos pássaros saltitantes
e um sol de lantejoulas.
Os meus olhos deslumbrados
com os trigais e as papoulas,
e  nada mais...
só a angústia... angústia de mortais.

Meus braços reclinados,
meus olhos nublados!
Na memória a lembrança dum beijo casto
Ao longe nuvem de algodão doce,
quem dera que ainda fosse
mas já desse tempo me afasto.

Sento-me à sombra dum arbusto frondoso
Lábios que se unem, dando
e recebendo
Idílio amoroso, segredo precioso
para recordar até ao fim da vida,
em saudade ardendo.
Fiapos da lembrança amolecida.

O calor do beijo
Água que brota da nascente
A sede e o desejo
Num fio da memória...silenciosamente.
Juras de fedilidade
Lembro-me de ti
E do sussurro brando do vento
Do teu rosto que me sorri,
com saudade
Assim serás eterno no meu pensamento.
Porque o amor é tudo. é soro vital
É o acontecer do sonho
Olvidar da vida o temporal.

natalia nuno
rosfogo
imagem da net




1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália,

De memórias se fazem estrelas
Em lindos castelinhos de areia
Que regalo para a alma vê-las
Em belas noites de lua cheia…

As lembranças são eternas
A escorrer dentro do peito
Com Suas doçuras ternas
Perante esse olhar perfeito!

Paisagens de chama ardente
Feitas em chãos coloridos
Ao brilho de estrelas cadentes
Se espelham amores vividos…

Coração que assim amou
E que a vida ainda ama
Nem o tempo que passou
Lhe apagará essa chama…

Beijo

Pétala