Seguidores

sábado, 15 de outubro de 2011

MEU CORAÇÃO SE APERTA



Sento-me na margem da tristeza
Em dias de Outono lentos
Enquanto olho a distância
Sopram os ventos da incerteza
A vida avança...
Procuro-me entre os outros,
já ninguém me reconhece.
Caminho de pés nus
Meu coração adormece.

À distância um longo caminho
E o tempo do amor de antes
Palavras mortas em pergaminho
Palavras que se guardarão para sempre
num cantinho do coração amante.

Esquece-se a lágrima de rolar
E o sangue deixa de palpitar
Sonhos da vida, sonhos meus
De forma clara dizendo-me adeus.
A vida foi paridora de sonhos
já cansados.
Agora se arremessa sobre mim
de olhos fechados.

Letra a letra...deixo escrito
Nos muros da minha alma o que vai
O silêncio vazio...o grito
No hoje e no amanhã que de mim sai.

natalia nuno
rosafogo

3 comentários:

Haere Mai® disse...

No caminhar da vida o coração se aperta e o amor se ausenta!

Gostei de te ler aqui. Creio que não cheguei a comentar-te no Luso.

Gostei especialmente deste poema, Natalia. Diz-me muito!

Belo Blogue! ;0)

Beijo azul

Natalia Nuno disse...

SENÃO FOSSE UMA AMIGA QUERIDA ELE NÃO ESTARIA TÃO ESPECIAL E LINDO.

BEIJO COLORIDO

Natalia Nuno disse...

Este poema é-te dedicado, pelo carinho que sempre me dedicas.

Se tanto te diz, pois considera-o teu, eu também o aprecio.

Terei muito prazer se o colocares no teu blog.

beijo