Seguidores

domingo, 23 de outubro de 2011

SONHO DE OUTONO




Braçados de flores vivas
Poesia nos pensamentos
Sorrir à vida, maravilhar-me
Expressar-me,
nesta linguagem musical,
música de cigarras num canavial.
Hoje deixo-me ir ao sabor
da imaginação,
Deixo meus olhos voar
como pássaros tontos,
com a emoção
que é ter como epílogo o amor.

Vou puxar o céu cá para baixo
Lembranças voam sem canseira
E a Vida volta a mim,
minha parceira.
A juventude me atrai, como uma embriaguês!
Mas logo me confidencia...
Foi sonho mais uma vez!
Minhas mãos se primem uma na outra
Passou mais um dia!

A vida me esmaga
com um olhar avivado
Não sei se hei-de rir para a provocar
Ou se hei-de chorar.
É assim meu fado!
Meus olhos parecem fogo,
meu coração apertado
Esta vida é um jogo.
Que não sei quando acaba
Uma aventura sem glória
Que acabará sem rumo nem história.

Nas minhas mãos afagos prendia
Hoje os largo em liberdade
Nesta demência ou fantasia
Com que falo de saudade.

rosafogo
natalia nuno









Sem comentários: