Seguidores

sexta-feira, 13 de maio de 2011

MUSAS SILENCIOSAS



Meus suspiros estão prenhes de mágoa
Minha memória reaviva as brasas
Dos olhos esparramada a água
Quem cortou minhas asas?
Parecem-me absurdas as horas
Meu dia longo e enfadonho
Aguardo um milagre sem demoras.
Que traga à vida um significado risonho.
Sem fadiga, nem tédio
Que deixam marcas da sua passagem
Me deixam flor esmagada
Sem remédio
Que já é só miragem
Rosa murchada.

Horas mórbidas e cinzentas
Rosto gasto e macilento
Só as memórias atentas
Musas silenciosas no pensamento.

A vida me olha com sarcasmo
E eu a olho com carinho e ressentimento,
às vezes num estado de pasmo!
E vivo-a com arrebatamento.
Passam as horas e não há mudança
às vezes dou por perdida toda a esperança.

Sem apelo nem agravo a vida passa
Ninguém se atreve a fazer-lhe frente
Fica a saudade que ameaça
Ser ela também insolente.
Mas se a memória não me atraiçoa
Não me fará essa maldade!
Saudade é coisa boa
Da ardente e louca mocidade

rosafogo
natalia nuno
imagem ret.blog-imagens para decoupage

2 comentários:

Evanir disse...

Seu poema é de perder os sentidos
um amor profundo latente envolve a alma da gente,
Sem duvida saudade é coisa boa.
Da mocidade que ficou no tempo.
Um lindo final de semana beijos,Evanir..
www.aviagem1.blogspot.com

Natalia Nuno disse...

Grata amiga, lindo seu comentário, o qual lhe agradeço.Pelo apreço, carinho e amizade o meu bem haja.

Um beijinho grande e bom fim de semana amiga Evanir