Seguidores

quarta-feira, 11 de maio de 2011

AI...MEU AMOR!



Deito-me no solo da encosta
Já o sol fura o nevoeiro
Tantas quimeras, a gente gosta!
Lembra sempre o amor primeiro.
E o sol ganha intensidade
Já o nevoeiro se dissipa agora,
No meu coração a saudade
Desse amor que foi embora.

Meus olhos estão deslumbrados
Querendo ver mais além
Fecho-os então bem fechados
Vejo-te a ti, a mais ninguém.
A luz que dos Céus nos vem
É uma luz abençoada
E este amor que a gente tem
É uma riqueza avultada.

Neste amor quero ficar cega
O destino assim o quiz
É jóia que a brilhar não se nega
Cega... assim eu sou feliz!
É voluntária escuridão,
Que eu quero abraçar,
Ter esta jóia a brilhar
Dentro do meu coração.
E por destino ou por quimera
É esta a doce realidade
Ai meu Amor quem me dera!
Mas já só me resta saudade.

natalia nuno
rosafogo

4 comentários:

FlorAlpina disse...

Olá Natália, foi um prazer conhece-la pessoalmente!
Espero que o lançamento do seu livro, tenha corrido bem, pensei poder estar presente mas um problema de saúde impediu-me de viajar, com muita pena minha não recuperei a tempo!

E agora de novo longe...

..."Mas só já me resta a saudade!"

Bjs dos Alpes

Natalia Nuno disse...

Olá Florzinha, também eu adorei conhecer-te.É pena que não estivésses comigo, o dia foi fantástico, a sala repleta de calor humano, tanta amizade e tanto carinho, alegria, surpresas, foi muito bom. O livro ´´e o meu orgulho, ficou bonito.

Talvez surja uma outra oportunidade, mas a distância é sempre um problema.
Grata amiga, beijinho grande

Célia Gil, narciso silvestre disse...

É bom não perder a riqueza do amor que se conquista! Parabéns pelo lindo poema!

Natalia Nuno disse...

Obrigada Célia, pela visita carinhosa.

Beijinho querida amiga.