Seguidores

quarta-feira, 6 de abril de 2011

MORRO SEM MORRER



Será que a palavra felicidade
já não faz sentido?
Faltam-me forças para amar,
Mas de tudo que foi perdido
Quero para sempre lembrar.
Penso que já não estou aqui
Só a memória me faz companhia
Minha alma perdida  por aí
De afecto e ternura vazia.

Confundo-me no meio da multidão
Sem que alguém em mim repare
E na liberdade da minha solidão
Vou curando a ferida para que sare.

Vou criando a ilusão
De alguma vez ser comprendida
Que algum dia por certo dirão
- De saudade andou perdida!
Escrevi meu livro precioso,
Volto a mergulhar na leitura
De corpo e alma,
neste poema misterioso
Que pulsa em mim com ternura.

Esquecerei até as estações
Posso suprimir o que me rodeia
Suplico, deixem-me as ilusões!
Quero ficar, solitária na minha teia.
Jurei não sucumbir á dor
De ver moribunda a poesia
Neste Mundo sem Amor
Em noite escura ou á luz do dia.


rosafogo
natalia nuno
imagem ret.- blog imagens para decoupage

2 comentários:

FlorAlpina disse...

Olá Natália,
E há quem viva sem viver! O que pela sua escrita não deve ser o caso.

Bjs dos Alpes

Natalia Nuno disse...

Olá Flor linda, obrigada pela visita.
Isto são momentos de poeta, sonhos, premonições,intuições apenas.

Beijinhos, fica bem.