Seguidores

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

TEMPESTADE DE SENTIMENTOS



Adoro o mar, as aves
os ventos ,as tempestades!
Lembro uma ciança,
sem haver crescido
E morro de saudades,
que me trespassam o coração.

Porque a terei perdido?
Se ainda hoje lhe dou a mão?

Fechei-a num recanto da memória
Faz parte de mim, da minha história.
A vida tornou-se combóio,
com a amargura da partida
Onde a última paragem
da viagem
É ainda  e sempre desconhecida.

Há em mim sempre
um desejo pungente!
E apesar da saudade...
Há vontade p'ra seguir em frente.

Sinto no peito grande palpitação
Com a força da ondulação do mar
Sinto que nada foi em vão!
Mas trago um pedaço de gelo
partido,
sofrido, no coração,
Sinto-o a avançar, a recuar
Talvez, por não o ter ouvido.

E soluços que já não sei soltar.

natalia nuno
rosafogo

2 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Somos tempestade...queremos e não podemos...somos e não somos...apenas poetas.

Adorei e deixo um beijinho
Sonhadora

Natalia Nuno disse...

Obrigada Rosinha, pelo carinho.

beijinho amiga