Seguidores

domingo, 19 de dezembro de 2010

ALEGRIA TURVA














ALEGRIA TURVA

Não sei se sou trigo se joio
Nem sei se o que procuro
acontece.
Neste sonho me apoio
Mas e se o sonho fenece?
Eu juro!
Que ele é tudo o que Deus me deu
E no meu tempo que esvoaça
O sonho é tudo o que é meu
E assim a vida passa.

Percorro este caminho a esmo
Sigo neste meu rol de saudade
Perco-me nas horas
Perco-me de mim mesmo
Gasta em desabafos de verdade
E tu esperança?!
Já tão pouco em mim afloras.
Comigo trago a saudade.

O tempo que já foi de cambraia
O tempo que já foi de linho
Um gargalhar de catraia
Onde até hoje me aninho.

Trago o coração cheio
É assim que o sinto
Se o tempo se mete p'lo meio?
O vazio pressinto
Lá se vai o meu sonhar
Não sei se sou trigo ou joio
Já nem sei se sei amar
Mas é no amor que me apoio
E neste delírio permaneço
Até meu coração calar.
Tempo dorido onde feneço.

natalia nuno
rosafogo

Sem comentários: