Seguidores

sábado, 25 de dezembro de 2010

PALAVRAS LEVA-AS O VENTO


















PALAVRAS LEVA-AS O VENTO


Ignoro onde me levam meus passos
Devo porventura desculpar a vida?
Como recuperar  se só restam traços?
Em boa verdade, me sinto perdida.
Rompo com a própria vontade
Sozinha com pensamentos a esmo
Deixo-me a rememorar com saudade
Para não me esquecer de mim mesmo.

O tempo amadureceu este sentimento
De prosseguir, de me apressar no caminho
Não vá acontecer meu desaparecimento
Numa noite breve, meu descaminho.
Já nem sei com rigor nada a meu respeito
Só sei que estou numa idade diferente!?
Se é dia ou crepúsculo, a hora a que me deito!?
Se muitos ou poucos os passos em frente.

Face ao desconhecido, a imaginação é que tece
Não é medo não, só mau pressentimento!
Mas a Vida já nem aquece nem arrefece!
«Palavras, palavras leva-as o vento».

rosafogo
natalia nuno

2 comentários:

Vieira Calado disse...

Palavras ditas,

sentidas,

do fundo da alma!

Gostei do seu poema!

Bem resto de Natal!

Natalia Nuno disse...

A tristeza mpor ver mais um ano a findar, este tempo não perdoa e me põe melancólica.
Meu amigo grata pela visita, um BOM ANO para si também.

Um abraço