Seguidores

domingo, 9 de setembro de 2012

calou-se a saudade





Encerro meu coração
enquanto o sol se esvai
no horizonte...
o corpo fica a descansar num tempo
vindouro,
a tarde é de ouro,
ouço de Deus a mensagem
perco o temor, fica a coragem.

Vêem-me as lembranças
da infância adornada
e crescem em mim as esperanças
que não deixam meu sonho afastar-se
amanhã haverá nova alvorada,
serei toutinegra ou rouxinol
farei do olhar um girassol,
amadurecerão os frutos
cairão folhas pelo chão,
o fim da tarde chegará,
tudo chega ao fim...
a saudade cala em mim!
só o sonho não findará.

natalia nuno
rosafogo

Sem comentários: