Seguidores

domingo, 18 de setembro de 2011

LEMBRANÇAS Á DISTÃNCIA

5119768901_c66f5f45fd_o

Ouço um eco que se desprende da
infância
Ao longe entre loureiros dourados
Lembranças à distância
de intantes acariciados.
Estou entranhada nas minhas raízes
Cresce em mim a nostalgia
Perco-me em sonhos felizes
e nesta saudade em mim noite
e dia.

Despede-se o Verão
E no coração
sinto os ventos da tarde
E a ventura passa ao meu lado
Minha alma absorta olha o poente
E a vida me golpeia com um machado
no presente.
E a felicidade?
Fica nessse sonho perdido
Longe da realidade
Perdida para sempre,
Como se,
se tivesse despedido.

E o Outono já as ramagens
agita
Olho ao longe os freixos orvalhados
Ouço o eco de alguém que me grita
Em soluços desolados.
É a criança que me pressente
Talvez queira de mim um sorriso?

Surge no céu um sol intermitente
Nascem anémonas no paraíso.

rosafogo
natalia nuno

1 comentário:

leonor costa disse...

Belo, como sempre!

Beijinhos