Seguidores

sábado, 16 de abril de 2011

BANCO DO JARDIM

flowergarden-sm~moon_thumb[6]

Banco do jardim solitário que nem eu
Só velhas arvores te fazem companhia
Nestas noites sem estrelas, nem o céu!
Quer saber de ti, completa tua nostalgia.

Quantos sonhos, quantos amores aqui
Tu ouviste na paixão de quem se entrega
Assenta agora o vento a poeira em ti!
Eu te canto esta saudade de amor cega.

Banco do jardim, bem pertinho do coreto
Com meu coração lembrando faço soneto
De quando o luar em ti ainda era suavidade

Reúno lembranças, minhas memórias de ti
Sonho sem cessar lembro amores que  vivi
Banco do jardim, te recordo com saudade.

rosafogo
natalia nuno
imagem do blog-imagens para decoupage

2 comentários:

manuel marques disse...

Obrigado pela recordação de um passado.O poema é lindo.
Beijo.

Natalia Nuno disse...

Obrigada Manuel, te desejo uma óptima tarde.

Beijinho, tudo bom por aí, muita saúde.