Seguidores

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

versos d'água...




Lembranças vão e voltam
como as ondas do mar
a um ritmo alucinado,
assim a tua vida na minha
é como um verso abandonado
o coração em versos d'água
e a mágoa sempre mais forte,
uivando como o vento norte...

Lembranças morrerão comigo
em silêncio, em meu abrigo,
são agora minha fuga, o
valor que me resta
na solidão desamparada
outonal melodia
aos meus ouvidos assobiada
a noite as aproxima
eu as canto numa rima


Lembranças refrescam a mente
do que ficou ausente
têm o odor a alfazema intensa,
trazem à memória o que o tempo
roubou, são a ponte entre o passado
e o inesperado,
numa saudade imensa
poeta sou num verso as engendro
são meus sonhos ardentes
caudal da minha memória
são estrelas na noite, cadentes
são pássaros em meus olhos
voando por entre lírios de solidão.

Trago a poesia p'la mão, nas
lembranças que arrebato de mim
onde quer que esteja, pra onde me vire
só elas e o tempo a partir...
tudo o que a vida  deu e não deu
nesta viagem a que me dou
sou chão sem flor...já lembrança sou.


natalia nuno
rosafogo


Sem comentários: