Seguidores

domingo, 12 de agosto de 2012

nada altera a mágoa


Cantam os pássaros e o vento
Porque se acabou em mim a primavera?
Canto, choro e lamento
e voltarei a estar triste, a alma destruída por sonhos
desespera,
quero apenas, ser como a água que passa,
como a ave que saltita de ramo em ramo
ditosamente das rosas ter a graça
e acalmar-me no olhar de quem amo.

Porque se acabou em mim a primavera?
Anda em mim esta solidão acesa...
vivo e morro sempre como quem espera,
caminhante de incerteza.
Sinto as palavras afogando na garganta
não há sorrisos nem prantos
aos meus ouvidos o vento canta
e me atormentam os pássaros com seus cantos.

Cruel é a primavera que me abandonou
me deixou pássaro ferido sem poder voar,
 flor seca que o tempo magoou
 alguém que se rende...farto de esperar!

rosafogo
natalia nuno
rosafogo



3 comentários:

rosa-branca disse...

Olá Rósinha, saber esperar é uma virtude, que ninguém gosta de ter. Amei o teu poema. Espero que esteja tudo bem contigo amiga. Beijos com carinho

Natalia Nuno disse...

Obrigada Rosinha, foi mesmo muito bom encontrar-te aqui, foi uma surpresa, obrigada.
Comigo vai tudo bem e contigo?
Desejo o melhor para ti.

Beijinhos

PÈTALA disse...

Olá Natália

Sente-se na brisa do vento
Um olhar de desconforto
E com o passar do tempo
Mais acentua o desgosto!

Mas o coração de quem ama
E que nunca parou de amar
Nunca se apagará a chama
Seja água, ou ondas do mar!

Os teus cantos são melodias
Nos bicos de pássaros andarão
Cantam sempre todos os dias
Por isso, não mais se apagarão!

Tudo aquilo que escreves
Para mim tudo são carinhos
Sendo assim nada me deves
Eu é que te devo, beijinhos.

Beijos com carinho

Pétala