Seguidores

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

é este o céu que piso



Já a tarde vai madura
já o sol afrouxou
cantam os pássaros com ternura
e a vida serenou
percorro a estrada do viver
palavras semeio ao vento
a saudade me veio ver
lá vem de novo lamento!
hoje ignoro minha descida
esqueço até a encruzilhada
amanhã se me achar perdida?
nem me darei por achada.

Já a tarde vai madura
no horizonte se despenha
logo vem a noite escura
a saudade de mim desdenha,
fecho o coração por ora
aqui onde sou, e sei ser
deixo a tristeza de fora
sou giesta a reverdecer.

Já a tarde vai madura
eu com medo de quebrar
este sonho de profundura
com rios de amor pra dar,
um rumor, a ventania
olhos orvalhados de medo
outro sonho se inicia
fica suspenso é segredo!
Prefiro seguir caminho
cai a noite bruscamente...
guardo os olhos num cantinho
e regresso á nascente,
e é este o céu que piso
minha paz é o que era
neste meu tempo impreciso
quero sonhar...sonho é dávida
que me espera...
quero correr como um menino
mandar parar o verão
fazer das palavras meu destino
e amar sem hesitação.

natalia nuno
rosafogo
imagem da net

poema de 2006



1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Alma que em seus muros se inquieta
Por vendavais de auroras de florescer
Viaja em contra mão, sempre irrequieta
Transformada em corpo de luz a renascer!

Quando as sombras descem como intrusas
Sem pudor querem forçar a quebrar vontades
Se intrometem no alimentar das musas
Tentando quartar o bailar de liberdades…

Baloiçam palavras em sonhos coloridas
Rio que muitas vidas fizeram sorrir e voar
Move-se agora em correntes mais doridas
Não ocultando o brilho e fulgor do seu amar!

Beijo

Pétala