Seguidores

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

de linho são os lençois







Arranco silvas do caminho
invento flores ao sol-pôr
a brisa me vem beijar,
traz-me o teu odor amor,
e a saudade a aumentar!
De linho são os lençois
acordo no calor dos teus braços
na madrugada de mil sóis
meu corpo inteiro, minha mente
sentem do estio o quente,
avanço nos passos
deste sonho todo ele amor
onde me embriago
nos beijos que sei de cor.

ficam meus seios à espera
da concha da tua mão
perdidamente ... quisera,
mas é sonho, é ilusão!
e o corpo entra em desvario
é o fim, a solidão...
choro e rio,
em cada verso te vejo
és meu maior desafio
do meu poema és desejo,
em cada verso que faço
nele me deixo ir
para que de ti não diste
sinto o calor do abraço,
se o perco fico triste...

O coração te procura
e a esse amor que é vida,
no meio da bruma escura
tua imagem esvaecida...
Numa angústia que é rotina
mas é Deus que assim destina.

natalia nuno
rosafogo
imagem da net

Sem comentários: