Seguidores

quinta-feira, 10 de maio de 2012

DOIS POEMAS DE AMIGOS













POEMA DO MEU AMIGO POETA PAULO CÉSAR
Silêncio...
Rugas nascidas no tempo
da serenidade
e do desvario...
Angustia soprada
na cadência do quase adeus,
ao sol pôr...
Lágrimas lavando o rosto
e inundando a alma
até à impiedade...
E aquela vontade perene
de não deixar o grito
morrer na voz calada!

Silêncio...
Eleva-se o papagaio do sonho
envolto nas mil cores do arco-iris
e o rio corre manso
certo de que a foz
o espera
para um abraço intemporal!

Silêncio...
E tanta vida por descobrir
quando a curva
parece anunciar o fim do caminho!

Silêncio...
A poesia resiste!

PC

MINHA RESPOSTA

Hoje amanhã dias vazios
Quase nada na memória
Que foi feito dos desafios?
De mim já não reza a história

Levo bem alto erguida
Uma carga que é uma cruz
Uma cruz chamada Vida
E um resto que sobra de luz.

Luz essa que me alumia
E que se chama POESIA.

«e o rio corre manso
certo que a foz
o espera
para um abraço imtemporal»

Abraço
rosafogo
natalia nuno

Sem comentários: