Seguidores

terça-feira, 13 de setembro de 2011

EU E O MAR




Só eu, céu e mar
Num canto livre e ardente.
Posso viver ou morrer!
Ou apenas sobre tua água chorada,
lentamente
amar, ou ser amada.

Há nuvens a voar
Só eu, céu e o mar.
Move-te o vento te ondulando
Minha vida desfeita me afadigando.

Sempre esta nostalgia
Como o vento que açoita as  águas
Distante já vai o dia!
Escondes areias, levas minhas mágoas.
Parece que estamos sós...
Sente a minha voz
de poeta!
Deixa-me inventar o sonho
ouvindo a tua voz, ó mar.

Deixa-me ser
gaivota perdida
recordando a vida.
Ou um pássaro que há-de nascer
Deixa que te fale com ternura, agradecida
E como bolha da tua água, desvanecer.
Tu és a força que ninguém dobra
Sobre teu peito me reclino
De Deus somos a obra
Eu menina, tu menino.

Já tantos te cantaram, Ó Mar!
Tão belo é o instante que passa
Tão pequena sou pra te cantar
Já a noite nos afaga, nos abraça.

Cresce a lua
e com ela a força,
da minha alma e da  tua.
Passa o tempo com desdém
e não perdoa
Um profundo abatimento...
Um grito perturbado ouço mais além
No coração, uma sede que magoa.
E as palavras quietas neste momento.

rosafogo
natalia nuno
(poema que surge em alto mar)

09/09/2011. Korfu

Estive ausente alguns dias, num cruzeiro, a todos os amigos
deixo meu agradecimento pelas visitas que me fizeram.Estou de
volta com saudade.

Sem comentários: