Seguidores

domingo, 19 de junho de 2011

AROMA DE FLOR



Revivo meus versos abandonados
Através dos meus olhos longa é a distância
Sonhos sedentos e cansados
Lembrando ao longe a infância.
E à distância vejo
Um olhar já carregado de melancolia
E dentro de mim a quimera, o desejo,
Da menina que amanhecia.

Meus passos sem rasto
Sonhos, pétalas a amanhecer
Com saudade me afasto
Dessa menina, que deixei de ser.
Quando a vida ardia,
mágica, com fulgor,
e eu sentia
ao meu redor... amor.
Era o fogo da felicidade!
Hoje a lembrança é o valor que me resta
Tudo foi reduzindo, até a saudade!
A solidão das horas desce funesta,
afoga na tristeza a chama do meu rosto.
Nesta breve vida, já é sol-posto.

Vazias as horas,
de silêncio e obscuridade
Revivo meus versos
Vislumbrando a menina com saudade.
Minhas palavras mastigam esquecimento
Mas meu sonho belo me enlaça
Perpetua a criança no meu pensamento.
Aroma de flor que ainda por mim passa.

natalia nuno
rosafogo

Sem comentários: