Seguidores

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

ENTRE O CÉU E A TERRA


















ENTRE O CÉU E A TERRA


Minhas palavras já parcas
No coração qualquer coisa a moer
A solidão hoje passou das marcas
O tempo é mestre mas me faz sofrer.
Hoje esqueço as horas
O tempo faz e desfaz
A vida não tem melhoras
Já o desafio não me apraz.

Não me quero iludir
Nem tão pouco a vida julgar
Se a ela me quer fugir?!
Sem norte me deixo levar.

Rasgam-se meus ouvidos
Há angústias que me perseguem
Me atormentam os sentidos
Mas as palavras? Essas não me neguem.

Arroxeiam os meus lábios de frio
E as palavras são poucas já!
Quanto tempo de sol? E o vazio?!
P'la minha face escorre,
o tempo,já tanto se me dá.

De quando em quando fico distante
Tão inerte, mordo a revolta!
Nas linhas que escrevo neste instante?!
Arrasto pensamentos à solta.

Já as últimas estrelas desmaiam
No meu olhar rompe a madrugada
Alento aos meus braços que ensaiam,
abraçar mais uma manhã
Que mal começa já é passada.



rosafogo

natalia nuno



rosafogo
natalia nuno

Sem comentários: