Seguidores

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

NÃO HÁ PAZ NA LEZÍRIA














NÃO HÁ PAZ NA LEZÍRIA
Estão a acordar D. Toupeiras
- Porque o Inverno já se vai
Já refizeram suas leiras!
Ai Meu Deus! Uma lá cai!

Não vejo nada comadre
Pare lá de dar patada!
-Desculpe lá ó compadre
Que isto está uma poeirada.

D. Escaravelho grita alto
-Aqui quem manda sou eu!
D. Besouro em sobressalto...
Mas afinal que lhe deu?

Já daqui embora me vou
- Já lá vem D. Cotovia!
Se sabe que aqui estou?
Já se me acaba o meu dia.

Nem D. Poupa hoje descansa
Anda pela lezíria, louca
Não lhe sai da lembrança
Que é Inverno e a comida pouca.

E ali na margem do rio?
Tagarelas vizinha com vizinha
-D.Alvéola cheia de frio!
Pede o xaile à D.Milheirinha.

Pousa D.Borboleta na flor
Sempre batendo sua asa
- Não vá o Sr. Açor...
Lembrar de sair de casa.

Enfim D. Toupeira sai suja
Nem vê bem por onde passa!
À espreita está D. Coruja
Que finge até achar graça.

Se a noite não espreitasse
E os gritos não ecoassem no ar
Talvez ainda me sujeitasse
-A ir ao arrozal jantar!

Isto é conversa da Tarambola
Que ainda hoje não comeu nada
Amanhã tem de ir p'ra Escola
-Sem a lição preparada...

Lá está D. Rã à escuta
É já manhã!
E lá vai ela à labuta.
Hoje vai ao arrozal
Sim! Porque afinal

Das lezírias é Senhora!
Todos a conhecem por ali
É verdinha, até um pouco loura.
E canta bem que já ouvi.

D. Perdiz anda ali perto
Cheia de ternura e Amor
Não pode andar em campo aberto
Está um dia de calor.
Tráz os filhotes consigo
E D. Àguia é um perigo.

E nas àguas do rio?
Há um peixinho brincalhão
Que vai numa correria
Atrás da mãe e do irmão

E porque era uma vez
A história não acaba aqui!
Quem sabe um dia talvez...
Lhes conte mais o que vi.


natalia nuno
rosabrava

Dedicado a todas as crianças do Mundo.

Sem comentários: