Seguidores

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

UM ROSÁRIO DE PENAS


Como te afundas coração de menina
na dor da tua saudade
de lembranças e luas
amores e solidões só tuas
no peito um rosário de penas
e sonhos que ao vento espantas
em versos que choras e cantas.

Em delírio e fantasia
tanto tempo perdido
é agora tempo de outono tardio,
tempo que digo e desdigo
morro pois nas ruínas do tempo
tempo fugaz e eu de asas presas
tempo que levo por castigo

O tempo traça o arco do destino
deixo-me levar pela roda do tempo
meu raio de sol é agora, fino...fino!
Se eu fosse uma calhandra voaria
nas pálpebras do vento
onde nem a morte me acharia
até me perder no esquecimento.

rosafogo
natalia nuno

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália.

Poema cuja alma espelha bem os sentimentos muito peculiares de sua autora! Onde a poesia ganha raízes nas palavras! Não se deixa levar pelo tempo! Porque é o próprio tempo! Nunca deixando de surpreender!

Espero que tudo continue correr bem.
Beijos

Natalia Canais Nuno disse...

Fico sempre feliz com as tuas palavras e agradeço-te muito pelo incentivo e assim continuar nesta caminhada que parece me foi destinada...

Meu querido amigo grata também pela tua preocupação já fiz as duas cirurgias à vista e correram bem, a do pé ainda não está muito bem, estou à espera da decisão do médico, creio que me irá mandar fazer infiltrações, que francamente não sei o que é tenho de me inteirar.

Desejo estejas bem deixo um beijinho