Seguidores

segunda-feira, 24 de março de 2014

Foi ontem...



Onde está meu rosto de ontem?
Caiu-me gelo na memória?
Soprou o vento
perdi a imagem,
arrebatou-a a aragem
resta o desalento...
Morro continuamente
digo adeus a outras primaveras
agora é tudo diferente
sem encanto nas esperas.

Ontem! Foi ontem,
que meu rosto se evaporou
na aragem perdido
longe de mim ficou,
sem um gemido
D'outra forma poderia
ter sido?

Ante meus olhos vejo o tempo passar
deixo-o de mim abeirar
e hei-de rir...sem perder
a ocasião, gritar como
louca varrida,
e que não venha a vida
confundir meu coração,
que eu trago a mesma força no peito
que sou a mesma,
mas d'outro jeito.
Em meu rosto é agora outono
já na saudade me abandono.

natalia nuno
rosafogo





2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

O teu rosto é de encanto
De todos os encantos teus
Envelheceu, entretanto
Sob olhar atento de Deus!

Mas a beleza interior, essa, nunca envelhecerá! Será sempre a tua mais-valia! E também é verdade que ela está bem presente em todos os lugares por onde passas! O seu perfume fica sempre a pairar, no ar!

És poeta de mão cheia! Os teus poemas sobreviverão a todos os cataclismos!

Beijinhos

João

Natalia Nuno disse...

Quem dera ter a tua força, essa que encontro sempre nas tuas palavras, quem dera que
as minhas por aí deixadas sobrevivessem.
Mas tudo é apenas incerteza.
Obrigada João pelo ânimo, sabes eu gosto do que escrevo mas não tenho assim tanto a certeza de ser Poeta ainda mais de mão cheia, isso és tu que dizes porque és meu amigo.
Mas seja como fôr é bom sentir esse carinho.

beijinho, boa semana