Seguidores

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

ser ou não ser Poeta




a aragem perfumada da saudade, traz-me alguns suspiros, algumas lágrimas,  sonhos sem fim que quase sempre esvoaçam na memória ao entardecer... surge então aos meus ouvidos como que uma revoada de aves que quase se atropelam e, qual orvalho matutino me caem na alma aquelas lembranças que me deixam a sonhar, por vezes melancólicas, é que o Poeta sente seu coração imortal, nele existe sempre esse alimento que não o deixa morrer...a POESIA. há sempre qualquer coisa que surge, que abala, que é difícil traduzir em palavras e que lateja em nós como uma ânsia, um grito, um desejo profundo, um ímpeto, ânimo, também um desânimo,  nos dá ou nos tira a força. assim vou vazando a minha inspiração, não sou literata mas sinto -me Poeta, pois como eles eu canto, choro, deixo em cada verso uma mágoa, um riso, um sonho, e a cada estrofe um pedaço da minha alma.

natália nuno
rosafogo
ao pé do mar me sinto mais verdadeira!
12/09/2013 ...Algarve

3 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Poeta é todo aquele que não consegue acomodar o seu infinito sonho! Sente uma necessidade permanente de extravasar o que não lhe cabe na alma! É um grito que não consegue abafar!

És poeta sim! E muito admirada e amada por todos os que gostam de ti.

Beijo

João

PÈTALA disse...

Natália

Não me venho despedir, mas dizer-te que vou para terras onde a net raramente terá lugar. Assim sendo não sei quando cá voltarei. Logo que seja possível darei notícias.

Nunca esqueças as minhas palavras para “agarrares” a vida! Mesmo naqueles dias que tudo parece perdido!

Deixo-te um abraço de muita amizade e um beijo muito carinhoso.

João

Natalia Nuno disse...

Estarás sempre na minha lembrança.

desejo que tudo te corra conforme desejas.
Grata pela mensagem.

bjinho, fica bem