Seguidores

sexta-feira, 22 de março de 2013

sob um céu vazio...



liberto-me da angústia
deixo-me p'la música inundar
oiço o farfalhar vindo dos pinhais
os pássaros a baloiçar
e a brisa a enlaçar-me o pensamento.
esqueço os sonhos sombrios
fico leve como o ar
ouço rumores,
acariciam-me os odores das flores
com a minha mão inocente
escrevo palavras da vida
que nos talha
que são sede de água pura
nascente, que brota sem cessar
lembrando as raízes,
a ternura
os dias felizes...
e canto até que este dia
se extinga
e a poesia seja flor
que em mim vibra.

e se não me entenderes
neste pulsar do tempo
é porque a poesia não faz para ti
sentido
e depois, já meu tempo terá
apodrecido
e se erguerão roseiras
e ciprestes ao meu redor
e uma calhandra rasgará o céu
muda como eu...

natalia nuno
rosafogo
img. net


Comentário feito a este meu poema no Lusopoemas pelo Poeta amigo

 sommerville

Bom dia poetisa!

Esta poesia está recheada de imagens primaveris,qual primavera de Vivaldi!,Contém um ritmo que embriaga pela bela sonoridade que transmite e ainda... uma carga dramática asfixiante!Postada à entrada do Equinócio de Verão,devido à data,é uma maravilhosa representante do Dia Mundial Da Poesia(21,ontem).Parabéns.Guardo.
Abraço

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=244123#ixzz2OK8lYrxR
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Este poema de encantar
Envolvido de pedra e cal
Revela uma força de amar
Que o torna intemporal!

A natureza é fonte de vida. Quem nela bebe, suas asas voarão cordilheiras planícies oceanos rios e montes, e beberá sempre água nas suas cristalinas fontes!
Beijo
Pétala
João