Seguidores

terça-feira, 26 de junho de 2012

MOMENTOS



Sou uma árvore solitária
Sacudida p'lo vento
Surgem-me emoções nos descuidos
do pensamento.
Há no ar um odor almiscarado,
que me é familiar,
e que à noite me faz sonhar.
Louvado seja Deus! Louvado!

Encontro a eternidade
na luz que espelha p'la manhã
O olhar perdido na saudade
Á beira de morrer, que o tempo não
perdoa.
Hoje venha o que vier, deixo o coração
à toa!
Sinto saudade nem sei bem de quê!
Nem sei de onde ela me vem
Saudade que só o meu olhar vê
E sabe de quê e de quem!

Sou àrvore erma como os versos
que vou fazendo.
Que em troca não pede nada
Por aqui nos vamos perdendo
Eu e eles numa prece desfolhada.
Que mais posso andar? Cançei!
É tarde, muito tarde...
Quebrou-se o encanto.
Agora que cheguei?!
Quedo o olhar e o pranto
Definho na saudade.

natalia nuno
rosafogo
imagem da net





5 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Uma alma não pode morrer
Mesmo que nela exista dor
Enquanto nas veias correr
O sangue que nutre o amor

A vida só apaga e se esvai
Quando dela se desiste
Ela sozinha não vai
Só se estiver muito triste

Mas tristeza é combatida
Abrindo gavetas de tesouro
Escolhendo as que deram vida
Contidas nesse coração d’Ouro

Velhos serão os trapos
Nem eles sabem o que é
A vida pode dar sopapos
Mas as árvores morrem de pé…

Beijo


Pétala.

PÈTALA disse...

Olá Natália
Entrei apenas para dizer que tenho uma publicação tua anunciada no meu blog. SEM TITULO, mas o certo é que não o encontro publicado.
Beijo

Natalia Nuno disse...

Olá João

Mais uma vez quero agradecer-te a forma como comentaste o meu «MOMENTOS», É SEMPRE UMA BOA SURPRESA!

Fantásticas as tuas rimas, quero parabenizar-te de novo, não é fácil para qualquer um.
No teu segundo comentário não percebi, já fui espreitar ao teu Beija Flor e não vi nada meu, mas podes colocar se for esse o teu desejo.

Beijo, fica bem.

PÈTALA disse...

Olá Natália
Agradeço toda a tua gentileza mas creio não ser merecedor de tanto. Não só em relação às palavras que deixas, mas, e, também, por publicares os meus comentários.
Beijo

PÈTALA disse...

A publicação de que falei é esta. Deixo em separado no caso de ser para apagar.
Sem título
Natalia Nuno em ORVALHOS-POESIA - Há 1 dia
Durmo sobre a morte Vivo um eterno desafio! Cada dia é um dia de sorte E assim se esvai a vida em rodopio. Um dia azul, um dia cinzento Tudo parece e, logo nada é! Há noites de insónia sem alento Tudo é ilusão, resta-me a fé. Há palavras mortas e o mundo às escuras Atónita no tempo faço oração Abrem-se as portas do meu coração. à saudade enternecida, que não domino e é mais forte do que eu E fico no céu ainda em vida. E assim a tristeza se compromete Abalam as horas cinzentas, sombrias E a morte comigo não se mete E sobre ela vou vivendo meus dias. natalia nuno rosafogo imagem dsa net... mais »