Seguidores

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

POESIA QUE SOU



A poesia é a minha infinita
liberdade
Onde falo de vida , de morte
de alegria de tristeza
Falo de tudo um pouco à sorte
Falo da saudade
Do amor e sua beleza
A força me surge do pensamento
E sofro porque escrevo sentimento.

A poesia é o meu chão
o meu espaço
Esqueço até da vida as dificuldades
É a minha ilusão,
O fogo da minha imaginação
O meu cansaço
O rumo das minhas saudades.

A poesia é o meu desejo,
a minha ansiedade
A minha realidade,
O meu sonho incompleto,
A minha terra o meu céu
A poesia sou eu!

A poesia é o ar que respiro
Que guardo nos confins do coração
É a minha ambição
Por ela deliro.
E eu sou toda inquitação
Se não me sai na perfeição!

A poesia dorme sobre o meu peito
Eu a sinto a toda a hora
Com ela me realizo e deleito
Estará comigo até ao destroçor
da memória.

rosafogo
natalia nuno

4 comentários:

ana barbara santo antonio disse...

Muito lindo aqui Natália,

fico por aqui encantada com a tua Poesia...

Carinho poético

musa

Natalia Nuno disse...

Que surpresa boa Ana, te agradeço muito, olha amiga é como vês não consigo parar, vou escrevendo.

Beijo, fico contente que gostasses.

Nilson Barcelli disse...

A poesia corre-te no sangue.
Excelente poema.
Natália, querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Abraço.

Natalia Nuno disse...

Obrigado Nilson, gostei da tua visita e das tuas palavras.

Boa semana
Beijo.