Seguidores

terça-feira, 1 de março de 2011

MINHAS EMOÇÕES



Canta ao longe uma cotovia
Choro eu o desalento do meu dia
Canta ela batendo a pena
E eu choro, porque a vida me condena.
Canta á Primavera canticos de amor
Choro eu despedindo-me da vida com dor.

Do Inverno ainda sinto a friagem
Ouço ao longe o canto da cotovia
Já vou perdendo a coragem!
Cresce e decresce a minha alegria.
E a vida é como um descampado
Onde os sonhos ondulam ao vento
Ouço o cantico da cotovia
descuidado,
E meu pensamento
se esquece
cada vez mais... dia a dia.

Mas este cantico, que eu ouvia...


Será mesmo da cotovia?
É ela!
Canta ao amor á beira da ribeirinha
Enquanto eu, choro tristeza minha.
Choro das saudades do quanto vivi
Choro até das saudades, da saudade,
que senti!

natalia nuno
rosafogo
imagem do blog-imagens para decoupage

2 comentários:

manuel marques disse...

As emoções são intermináveis. Quanto mais as exprimimos, mais maneiras temos de as exprimir.
Lindíssimo poema.

Beijo.

Eduarda disse...

Natália,

a tua poesia além de forte é de uma sensibilidade que nos faz voar e ficar queda...um dualismo que só tu mesmo nos podes transmitir.

bj