Seguidores

sábado, 10 de dezembro de 2016

percorre-me o obscuro



joelhei-me à borda d'água
para aplacar minha sede...
olhei-me ao espelho c'mágoa
tempo, pena de mim não teve

trago um mal estar no peito
que é derrota e bem amarga
pra quê sofrer deste jeito ?!
se este tempo não me larga!

partiram sonhos em barcas
 
fiquei noite d'estrelas parcas
meu rosto tingiu-se de medo

já não tenho asas quebrei-as
lembranças abandonei-as...
murmuro  ais em  segredo 

natalia nuno
rosafogo






4 comentários:

Beijaflor disse...


Olá Natália!

O que de facto te percorre é uma imensidão de talento que brota como bicas de fontes! Em todos os géneros poéticos deixas a tua marca, sempre com saber e esse dom nato que te carateriza! Nunca deixes de o fazer por todas as razoes, mas sobretudo, porque isso continuará a ser a tua fonte de vida!

Desejos de bom Natal para ti e para todos os que te são queridos!

Beijos com muita amizade.



Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida!
Asas quebradas nos deixam inseguros e impotentes... desejamos voar... belo poema com versos tão bem colodados!
Seja muito feliz e abençoada!
Bjm muito fraterno e Felizes Festas!

Natalia Nuno/Rosafogo disse...

É imensa a minha gratidão amigo, desejo que passes Boas Festas e que o Ano Novo te traga a realização dos teus sonhos maiores.

Un beijinho João tudo bom para ti.

Natalia Nuno/Rosafogo disse...


Olá amiga Rosélia, fico grata com a presença e o apreço pelo meu meu poema, feliz que a amiga gostasse, obrigada.

Um grande beijinho, desejando-lhe Boas Festas.